Um brasileiro no conselho da HSS (do EdgarDigital)

Retirado do portal EdgarDigital

Historiador da ciência respeitado, liderança no Programa de Pós-Graduação em Ensino, Filosofia e História da Ciência da UFBA, que reúne hoje três dezenas de docentes, o professor Olival Freire Júnior tornou-se nesta semana o primeiro brasileiro a integrar o conselho da History of Science Society (https://hssonline.org/). Fundada nos Estados Unidos em 1924, essa é a mais tradicional e forte sociedade científica em sua área e congrega atualmente mais de 500 sócios em todo o mundo. Ele toma posse no começo do próximo ano e tem mandato de três anos.

Olival, pró-reitor de Pesquisa, Inovação e Criação da UFBA, comenta que a sociedade vem fazendo nos últimos anos um grande esforço para incluir sócios e diretores de diferentes países. “No Conselho, por exemplo, formado por 21 membros, dos quais cinco funcionam como executivos propriamente, já havia representantes de países europeus e um do México. Agora, haverá também um brasileiro”, disse.

A eleição de Olival entre os cinco novos conselheiros é um atestado do reconhecimento da pesquisa realizada no Brasil em história da ciência e, especialmente, um reconhecimento ao polo de pesquisa da UFBA.

Físico de formação, voltado à história da ciência e especialmente da física há cerca de 20 anos, desde seu doutorado na Universidade de São Paulo (USP), quando estudou o trabalho de David Bohm sob orientação de Michel Paty e Shozo Motoyama, Olival tem há muitos anos inserção pessoal no meio acadêmico norte-americano em sua área. E certamente só serviu para ampliar seu reconhecimento o livro “Os dissidentes quânticos”, publicado em 2015 pela Springer.

O professor baiano deverá escolher uma das comissões em que se divide o Conselho da influente History of Science Society e, provavelmente, dado seu enorme interesse em ensino, optará pela comissão que lida com a difusão da história da ciência na educação. Já em novembro ele participa da reunião anual do conselho da sociedade, sem direito a voto e, a partir do próximo ano, em plena posse de seu mandato de conselheiro.