O que disse o representante dos alunos no funeral do Reitor da UFSC

O representante dos alunos Leonardo Moraes, orientando de Cancellier no curso de mestrado, foi aplaudido de pé quando disse:

“A tragédia de ontem não foi um acidente. Um desafeto político, uma denúncia deturpada, um processo arbitrário conduzido por uma delegada, possivelmente inconformada por ter sido afastada da Lava Jato, uma decisão inconsequente da juíza da 1a. Vara da Justiça Federal de Florianópolis mudaram, do dia para a noite, a vida do reitor Luiz Carlos Cancellier. Depoimentos que o absolviam foram ignorados, provas foram colhidas sem qualquer contraditório, uma prisão duramente criticada por toda comunidade jurídica catarinense. Uma decisão assinada no conforto de um gabinete, que transformou a história da nossa universidade. Elementos que convergiram para uma desfecho que não condiz com o homem que nós conhecíamos. Cancellier jamais foi acusado de desvio de recursos. Não havia fundamentos para uma medida tão agressiva como a prisão temporária. Um homem que lutou contra a ditadura militar se viu condenado sem contraditório, julgado pela mídia, pela sociedade, sem direito de defesa. O homem do diálogo foi preso sem poder falar. Entretanto Cancellier não voltaria pela porta dos fundos. Ontem, Cancellier retornou para a Universidade Federal de Santa Catarina pela porta da frente, sem ordem judicial, carregado nos braços dos seus alunos, colegas, amigos e familiares”.