Conversa.com: Gabriela Carneiro da Cunha

guerrilheiras

Recentemente a peça “Guerrilheiras”, que retrata a luta contra a ditadura na Guerrilha do Araguaia a partir da perspectiva das mulheres, foi um sucesso na sua passagem pelo Rio de Janeiro e São Paulo.

Idealizada pela atriz Gabriela Carneiro da Cunha, a peça resgata a participação das mulheres na guerrilha bem como a relação das camponesas com as guerrilheiras e guerrilheiros assim como com a guerrilha de maneira geral. Para a construção da peça a equipe embrenhou-se na região do sul do Pará, conversou com os moradores, gravou depoimentos, registrou aspectos do conflito, todavia presentes da região. Enfim, um largo processo de pesquisa para retratar e manter viva a luta heroica das mulheres que combateram a ditadura e para isso entregaram suas vidas. Continue lendo

Conversa.com – Tininha

Ana Petta (Tininha) fala sobre o filme Osvaldão: Significa falar da luta dos negros no Brasil”

tininha1

A Tininha vem de uma família de comunistas, é atriz e iniciou a sua militância no movimento estudantil justamente no período das manifestações do Fora Collor. Como atriz e militante protagonizou a retomada da atuação cultural da UNE com a criação dos Centros Universitários de Cultura e Arte (CUCA) e da Bienal de Cultura e Arte, organizados pela entidade.

No seu currículo estão inúmeras atuações no cinema nacional, dirigindo e contracenando com grandes da dramaturgia brasileira como Fernanda Montenegro e Caco Ciocler, por exemplo. Continue lendo

Conversa.com com Luciano Rezende

foto 3O Luciano é mineiro e torcedor do Galo. É, também, Engenheiro Agrônomo, mestre em Entomologia e doutor em Fitotecnia (Melhoramento Genético de Plantas) pela Universidade Federal de Viçosa (UFV) e Bacharel em Administração Pública pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Foi presidente da Associação Nacional de Pós-graduandos (ANPG). Atualmente é professor pesquisador do Instituto Federal Fluminense (IFF) e é diretor da Fundação Maurício Grabois (FMG).

Nesse momento o Luciano está desenvolvendo um estudo muito interessante sobre o Clima e a Cultura Organizacional dos partidos de esquerda do Brasil. Assim, seu recorte de pesquisa centra-se nos quatro maiores partidos deste campo político do país, dois que compõem e dão sustentação ao governo Dilma (PT e PCdoB) e outros dois que compõem a chamada “oposição de esquerda” (PSTU e PSOL). Continue lendo