Justiça do Trabalho avalia não aplicar novas regras da reforma trabalhista

 

A Justiça do Trabalho avalia não aplicar parte das novas regras da reforma trabalhista por considerar que elas violam direitos previstos na Constituição ou em convenções internacionais.

O novo texto, que passará a valer no mês que vem, foi discutido detalhadamente por magistrados, procuradores e advogados, que se reuniram na segunda (9) e na terça-feira (10) em congresso da Anamatra (associação dos magistrados do trabalho). Continue lendo

Temer e o projeto de subdesenvolvimento, por Julio de Oliveira Silva

 

inserção internacional da economia brasileira sofreu um grave revés nos últimos sete anos. O retrocesso marca um movimento em direção ao que alguns consideram a vocação natural do País, o extrativismo de caráter imediatista e a alienação patrimonial, em um concerto de interesses estrangeiros e desinteresses nacionais.

O compromisso das forças políticas atuais com o atraso, não apenas na economia, denota a intenção explícita em reverter o pacto social civilizatório duramente obtido em 1988. Trata-se agora, e ninguém no governo disfarça, de desfigurar a Constituição Federal e desamparar a população. Os mais ambiciosos se perguntam se não seria o caso de levar a reversão do processo histórico, inclusivo e popular, não apenas a 1988, mas a antes dos anos 1930, ao fim da Era Vargas, que produziu tudo o que caracteriza o Brasil como um país respeitável. Continue lendo

Um golpe sem futuro, por Fernando Rosa

Em abril de 2016, artigo de Felipe Camarão – “O fim do mundo unipolar” , alertava que “avizinha-se o fim dos escombros dos acordos de Bretton Woods que regulavam as relações econômicas e financeiras entre as principais potencias”. O artigo apontava algumas das principais causas, como a quebra da paridade entre o dólar e o ouro que converteu o dólar em moeda mundial, e a fúria neoliberal de Reagan e Thatcher, que liberaram a brutal especulação do capital financeiro. E, como consequência, uma imensa desindustrialização dos países centrais agravada, em 2008, com a quebradeira de instituições financeiras, particularmente nos EUA e Europa. Continue lendo

Tribuna da Luta Operária, o jornal da luta contra a ditadura, por José Carlos Ruy

 

O periódico dos comunistas foi lançado na conjuntura da crise e superação da ditadura militar de 1964.

O ano era 1979. A Lei de Anistia da ditadura acabara de ser promulgada (lei n° 6.683, de 28/08/1979), os exilados voltavam para o Brasil, ou se preparavam para fazê-lo.

A imprensa popular, na época, tinha jornais de frente ampla, como Movimento, e outros, formados por frentes democráticas e de oposição à ditadura. Continue lendo

Temer e o retorno da era das privatizações, por Pablo Diniz

Como uma avalanche, o projeto de privatização de Michel Temer beira a criminalidade e quer vender 57 empresas

Está na mira da privatização o que resta da Petrobras, da Eletrobras, da Embrapa, da Infraero e dos bancos públicos / Beto Barata

O termo que definiu as vitórias e derrotas das últimas eleições brasileiras foi privatização. Fernando Henrique Cardoso iniciou uma era de malsucedidas vendas do patrimônio público, com a entrega de empresas estratégicas a preço de banana. Desde então, o país assiste ao desmonte e transferência de comando dessas empresas a “acionistas” anônimos de todos os recantos do planeta, em especial, os Estados Unidos. Continue lendo