A grande convergência político e social para barrar os retrocessos no Chile

As eleições presidenciais no Chile foram vencidas por Sebastian Piñera, do campo neoliberal e pôs fim ao ciclo de governos progressistas, o último de Michele Bachelet com a Nova Mayoria. Divisões desse campo, a insuficiente prática de combinar a pressão do movimento social com as conquistas sociais, são analisadas no balanço do PC do Chile, mas valorizando e validando sua participação no último governo. Ao mesmo tempo propõe ampla coalizão de forças para enfrentar os retrocessos proclamados por Piñera, à mesma moda de Macri na Argentina e governoTemer no Brasil (este ainda mais radical, coisa de bucaneiros). Vale a leitura! Continue lendo

Estudos Estratégicos XII – Estudo da formação econômico-social brasileira

Depois de uma pausa, o blog volta a publicar a série “Estudos Estratégicos”, importante estudo realizado por alguns dos principais marxistas brasileiros. Segue hoje o dossiê número XII, que teve a autoria de José Carlos Ruy, intitulado “Estudo da formação econômico-social brasileira”.

Boa leitura.

Estudo da formação econômico-social brasileira

Não há sistema político-institucional que prescinda da política

A CRISE ATUAL E O DEBATE, artigo de Fernando Limongi* e Argelina Cheibub Figueiredo, tem grande valor sobre o debate institucional brasileiro, destinado a desfazer lugar-comum de encomenda sobre a relação entre crise e presidencialismo de coalizão. Foi publicada na Revista Novos Estudos, do CEBRAP, em novembro de 2017. Recomendo a leitura.

Continue lendo

Violência contra as mulheres cresce assustadoramente no governo Temer

“É assustador o aumento da violência contra as mulheres com os retrocessos do governo de Michel Temer, acabando com o emprego, com o combate às práticas violentas e com os direitos humanos”, afirma Celina Arêas, secretária da Mulher Trabalhadora da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB).

Ela se refere aos dados do 11º Anuário divulgados nesta segunda-feira (30) pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública sobre a violência no Brasil em 2016. “Vivemos uma guerra sem fim, principalmente nós mulheres que vemos todas as nossas conquistas serem tiradas com esse governo golpista”, complementa. Continue lendo

Os cem anos da Revolução Russa: alguns temas para seu estudo (por José Carlos Ruy)

O historiador marxista Eric Hobsbawm ressaltou a importância da Revolução Russa ao escrever que seus limites históricos definem o que chamou de o “breve século XX”: 1917-1991. É uma maneira de ver que enfatiza a importância da Revolução Russa, que iniciou uma nova etapa na história da humanidade.

Quando a revolução ocorreu, a Rússia czarista era a mais atrasada entre as potências européias. Ainda era grande o peso do passado feudal (a servidão fora abolida em 1865), e o país permanecia dominado por uma monarquia absolutista. Sua classe operária se contava aos milhões, mas a base da população era camponesa, e no seu meio predominavam o analfabetismo e o preconceito religioso.  Continue lendo