Mercantilização da saúde e violência obstétrica (por Daniela Valle)

Quem é a pessoa que tem coragem de cortar e depois costurar a vagina de uma mulher sem dar anestesia? Quem é capaz de simular uma emergência ou forjar exames para obrigar um parto por cesárea contra a vontade da gestante? Quem nega atendimento digno a uma adolescente por considerá-la “negra, tatuada e drogada”? Enfim, quem são os profissionais que praticam a violência obstétrica?

Continue lendo