Um espaço para aproximar o Brasil da América Latina e a América Latina do Brasil (por Marco Piva)

O grande encontro da América Latina com a democracia tem sido marcado e desmarcado ao sabor de conjunturas seculares que ora representam avanços, ora representam graves retrocessos. A partir das independências que cravaram a ruptura com as coroas espanhola e portuguesa no século XIX, a alternância entre duas correntes políticas – liberais e conservadores – foi conduzida por cenários de confrontos violentos sempre seguidos de pactos de grande fragilidade porque costurados sempre por cima. Esse duelo político não impediu que, gradualmente, ideias civilizatórias avançassem e fossem incorporadas pelas elites na forma de sistemas democráticos incipientes.

Continue lendo

Ecuador: el pueblo dijo ni un paso atrás (por Atilio Borón)

La victoria obtenida por Alianza País en el balotaje del 2 de Abril confirma que el pueblo ecuatoriano supo discernir lo que estaba en juego: la continuidad de un gobierno que marcó un antes y un después en la historia contemporánea del Ecuador o el suicida salto al vacío, emulando la tragedia argentina.

Continue lendo

Caminho Uruguaio ao Socialismo: O pensamento de Rodney Arismendi e a unidade da esquerda (1955 – 1971) (por Mateus Fiorentini)

A Frente Ampla, como expressão da unidade da esquerda uruguaia, tem sido uma importante referência para inúmeros processos que buscam uma construção unitária deste campo político na América Latina.

Continue lendo

Relações exteriores mostram instabilidade das políticas de Temer (por Marcio Pochmann)

Governo procurou alinhar-se passiva e subordinadamente às velhas forças externas da onda de globalização dos anos 1990, mas o redemoinho antiglobalizante coloca a estratégia em xeque Continue lendo

Temer é reprovado por 59% dos formadores de opinião (por Itamar Garcez)

O presidente Michel Temer é reprovado por 59% dos formadores de opinião no Brasil. Entre 14 países da América Latina (AL), este índice é de 64%. Sua aprovação é de 41% (Brasil) e 30% (AL).

Os dados são do Ipsos, terceiro maior instituto de pesquisa do mundo com sede na França. Entre os 11 chefes de estado avaliados em toda a AL, Temer é o nono colocado, com 30% – à frente de Peña Nieto, do México (25%), e Nicolás Maduro, da Venezuela (6%).

Continue lendo