Fundamentos do urgente Projeto Nacional Brasileiro, por Roberto Requião

O senador Roberto Requião dá uma enorme contribuição ao debate crítico necessário hoje no Brasil sobre Um Projeto Nacional. Entre muitos outros méritos ao suscitar a reflexão crítica, está o de apresentar uma visão sistêmica própria para o tema.

O Projeto Nacional de Desenvolvimento deve estar no centro da reflexão das forças progressistas, patrióticas e democráticas para tirar o país da crise e oferecer novas esperanças para o povo brasileiro e para a afirmação nacional. Sem ele, as formulações de fazem parciais, segmentadas ou mesmo fragmentadas, levam a estratégias imprecisas ou falhas para levar o Brasil a novos patamares civilizatórios.

Parabéns ao Senador, o debate mais uma vez fica enriquecido.

  Continue lendo

Xadrez da construção de um projeto nacional (por Luis Nassif)

Peça 1 – os grupos que procuram projetos alternativos

Há uma certa dissintonia entre os diversos grupos dito progressistas, na hora de definir o que seria um projeto alternativo de país. Lembra um pouco a fábula dos 7 cegos e o elefante, cada qual apalpando um pedaço do bicho e julgando que seu formato correspondesse ao pedaço alisado.

Falta ainda uma visão mais sistêmica sobre o significado de um projeto para o país, algo que junte todas as pontas dentro da melhor arquitetura social e econômica.

Continue lendo

Trabalho, proteção social e desenvolvimento

JOSÉ CELSO CARDOSO JR*

IInstituto de Pesquisa Econômica Aplicada, Brasília/Distrito Federal, Brasil

HR842 SÃO PAULO/SP 29/08/2013 POPULAÇÃO IBGE CIDADES - O Brasil já tem mais de 200 milhões de habitantes, aponta estimativa do IBGE, que divulgou nesta quinta-feira, 29, a projeção da população até o ano de 2060. Na foto Rua 15 de Novembro, no centro de São Paulo. FOTO: HÉLVIO ROMERO/ESTADÃO

FOTO: HÉLVIO ROMERO/ESTADÃO

Resumo

A primeira década do novo milênio, mormente o período 2003-2013, cumpriu – entre outras – função didática nos embates acadêmico e político brasileiros. Após praticamente 25 anos de dominância ideológica liberal e tentativas de implementação de diretrizes e soluções desregulamentadoras, privatistas e internacionalizantes, com resultados pífios ou nefastos sobre indicadores clássicos do comportamento macroeconômico e do mercado de trabalho nacional, houve em período recente a contestação empírica e teórica da alegada supremacia daquelas formulações. Continue lendo