Kapitalismus Über Demokratie: Capitalismo acima da democracia

Por Marcelo Zero

 

O debate relativo ao aplicativo Uber, atualmente restrito a um embate entre taxistas e os motoristas precarizados dessa empresa de serviços, coloca algumas questões mais amplas e relevantes sobre o atual estágio e os novos mecanismos da acumulação capitalista no mundo e sua incompatibilidade última com a democracia substantiva.

Com efeito, o tema do Uber e dos problemas legais por ele ocasionados em todo o mundo inserem-se na questão maior da mal chamada “economia do compartilhamento” ou da “sociedade em redes”. Continue lendo

Uber – Quando a “economia digital” entra na real…

Na Califórnia um motorista “freelancer” de Uber entrou com uma ação para receber seguro desemprego e outros benefícios alegando que ele trabalhava em tempo integral para a Uber.

Uma agência do governo da Califórnia finalizou hoje o julgamento do caso (O Escritório do Departamento de Desenvolvimento de Empregos de Inglewood) e decidiu que a relação de trabalho era de Empregado e empregador, e que por tanto ele deveria receber seguro desemprego.

Como o sistema é de Common Law, outros casos podem vir a tomar o mesmo curso.

Claro que a Uber tentará se esquivar e fazer alterações no modo como funciona, para que não aconteça no futuro. Mas o curso está sendo definido e até mesmo nos EUA onde “nem se questiona seriamente” regular o Uber, a coisa está mudando um pouco de figura.

Acho isso interessante por que no Brasil o quadro ainda é uma dicotomia pura e simples: taxistas protestam (com sua razão, é uma grande categoria, muito autônomos) e usuários acham que o Uber é só flores… O bem e o mal, binário.

Está na hora desse debate amadurecer. E a “economia digital” entrar na real, com direitos e deveres dos prestadores de serviço.