Celso Amorim denuncia ofensiva do capital internacional (do Grabois)

“Não interessa ao capital financeiro internacional que o Brasil ou, de forma mais ampla, os países da América Latina e Caribe, produzam as reformas sociais necessárias a uma sociedade mais justa e tracem rumos próprios na política internacional”, alertou o embaixador Celso Amorim em entrevista exclusiva concedida ao Portal CTB.

Continue lendo

La cara descarnada del imperialismo (por El Popular)

El presidente de EEUU, Donald Trump, dijo este viernes, que no descarta una opción militar contra Venezuela. Es una afirmación gravísima, una amenaza a Venezuela, a un pueblo hermano y a la paz de todo el continente, es una amenaza a todas y todos los latinoamericanos.
Trump hizo esta declaración luego de reunirse con su secretario de Estado, Rex Tillerson; su asesor de seguridad nacional, H.R. McMaster; y su embajadora ante la ONU, Nikki Haley.

Continue lendo

Para entender a Venezuela (por Marcelo Zero)

Antes do governo de Chávez, em 1998, o país com a maior reserva de óleo do mundo tinha 70% de sua população abaixo da linha da pobreza, 40% na pobreza extrema e 21% da população estavam subnutridos. Essa era a Venezuela dos Capriles, dos López e da “oposição democrática”.

A desigualdade, medida pelo índice de Gini, foi reduzida em 54%. A pobreza despencou de 70,8%, em 1996, para 21%, em 2010, e a extrema pobreza caiu de 40%, em 1996, para 7,3%, em 2010.

Esse é o tema tratado com profundidade no artigo de Marcelo Zero, publicado no Blog da revista Carta Capital.

Continue lendo

Quantos Allendes devem morrer para o povo latino perder a vergonha de se defender? (por Almir Felitte)

Em 1973, o clima de agitação nas ruas chilenas demonstrava que algo estava para acontecer. Enormes manifestações de apoio ao governo popular de Allende eram contraste às grandes marchas organizadas por seus opositores de direita. O cenário, que culminaria em um golpe militar, alçando o ditador Pinochet ao poder, é magistralmente retratado no premiado documentário “A Batalha do Chile”, do então jovem Patricio Guzmán. E, assistindo às cenas, é impossível não fazer uma ligação com os fatos que ocorrem na Venezuela de hoje.

Continue lendo