As pernas cortadas de Letelier (um conto político sobre violência e neoliberalismo) (por Marcelo Zero)

Três semanas antes de sofrer o atentado, em 1976, o ex-ministro de Allende Orlando Letelier publicou artigo sobre as consequências econômicas, sociais e políticas do neoliberalismo e sua estreita conexão com a violência – no caso, a ditadura chilena

Continue lendo

O aumento da violência no campo tem a cara do Golpe (por Ruben Siqueira)

O relatório  “Conflitos no Campo Brasil 2016” da CPT traz índices recordes e ainda mais preocupantes: aumentaram todos os tipos de conflito (maiores números dos últimos 10 anos, o de terra maior em 32 anos de documentação) e todas as formas de violência no campo em relação a 2015. Os assassinatos tiveram um aumento de 22%, menor índice de aumento em 2016, mas o maior número desde 2003. As agressões tiveram o maior índice de aumento: 206%

Continue lendo

VÍDEO: o discurso de Meryl Streep detonando Trump no Globo de Ouro

 

O ponto alto da cerimônia do Globo de Ouro foi o discurso de Meryl Streep ao receber o prêmio Cecil B. DeMille pelo conjunto de sua obra.

Ela foi anunciada pela colega Viola Davis, que levou o prêmio de melhor atriz coadjuvante por seu papel em “Cercas”.

Em pouco mais de cinco minutos, Meryl falou sobre a diversidade em seu meio, enfatizando como é isso que dá essência à indústria, e criticou fortemente Trump e suas políticas — sem citar seu nome.

Continue lendo

Brasil é um dos 5 países com maiores taxas de feminicídio

180

Agência Patrícia Galvão. Denuncie o abuso contra a mulher. Ligue 180.

A Agência Patrícia Galvão lançou um dossiê  digital e interativo sobre o feminicídio no Brasil. Feminicídio é definido como o assassinato de mulheres em contextos marcados pela desigualdade de gênero. Continue lendo

Filme aborda cultura do estupro, respeito às vítimas e justiça

Em ‘Paulina’, do diretor argentino Santiago Mitre, protagonista escolhe caminho incompreensível para superar o trauma e a dor da violência sexual

por Xandra Stefanel 

paulinaJá nos primeiros minutos de Paulina é possível sentir que as convicções políticas e sociais são os verdadeiros protagonistas do novo filme de Santiago Mitre, que estreia nesta quinta-feira nos cinemas brasileiros. O longa-metragem argentino conta a história de Paulina (Dolores Fonzi) que, depois de estudar direito em Buenos Aires, decide voltar para Posadas, no interior do país, para se dedicar à formação política em uma comunidade carente na sua cidade, na fronteira entre a Argentina e o Paraguai. Um dia, quando volta da casa de uma amiga, ela é estuprada por um grupo de rapazes.

A história é uma releitura de La Patota, dirigido por Daniel Tinayre em 1961. Sem o tom religioso do original, o novo filme se debruça prioritariamente sobre questões sociais e a origem da violência, assim como o respeito integral à vítima. Uma das frases mais marcantes do longa é quando Paulina argumenta com seu pai (Oscar Martínez), o juiz Fernando, que não quer que seu caso seja investigado: “Quando há pobres envolvidos, a polícia não busca a verdade, busca culpados”.

Continue lendo